Emponderando Mulheres de Facilities
Faça a diferença  |  Login

Blog você está em: home / Blog

Trabalhar demais faz mal!

Trabalhar demais faz mal!
21 Jul 19

Última alteração - 21/07/2019 18:53:16

Trabalhar demais faz mal!

Trabalhar demais faz mal para pessoas e organizações? Nós temos uma cultura que funcionário comprometido, motivado fica “super na boa” até mais tarde na empresa. Claro que as vezes, por um projeto a ser finalizado, uma emergência, uma situação fora do padrão, isso pode ser uma verdade. Afinal, fazemos esforços por uma liderança que admiramos, por uma empresa que nos trata com consideração, por um projeto especial ou por medo, por necessidade, por ego. Mas se isso continuamente se repete, precisamos refletir. 

Foi realizada uma pesquisa pela City University, de Londres, que analisou o excesso de trabalho por dois pontos:  Bem-estar e aí estamos falando de estresse, fadiga e satisfação profissional, e o outro ponto de vista, que é o resultado da sua carreira, que inclui segurança no emprego, reconhecimento e promoção. Descobriu-se que nem de longe faz bem trabalhar demais.

Durante muitos anos, eu trabalhei muitas horas, era comum sair as 21 horas ou mais da empresa, no dia seguinte, estava no horário previsto de entrada, nunca faltava ou chegava atrasada. E isso me parecia o certo. Lembro que um dia ao sair as 18h e 30 min, meu diretor perguntou se eu estava desmotivada. Me senti envergonhada, ao dar uma explicação, que naquele dia eu teria um evento na escola da minha filha. Hoje percebo que muito mais produtiva eu poderia ser e muito mais feliz também, se tivesse a consciência de planejar melhor meu tempo e minhas prioridades.

Não vi minha filha dar o primeiro passo, muito menos falar mamãe, lembro que a baba ligou e pediu para eu ficar atenta, ouvindo o que minha Fefe iria dizer: do outro lado, uma garotinha dizia: “Mamã”. Foi a empregada que ensinou isso com a minha foto sendo mostrada durante o dia para a minha filha. Mesmo assim, não foi suficiente para me tirar daquele entorpecimento que eu vivia. Minha carreira ia muito bem, então pensava, está valendo a pena. Muitas viagens, reuniões e eventos. Precisou eu ficar doente e receber a notícia do médico, dizendo que se não reduzisse meu ritmo eu não veria a Fefe se tornar uma linda jovem.

Aprendi da forma mais difícil, pela dor e não pelo amor. Mas aprendi. Deixei a capa de super mulher, fui me treinando para agir diferente. Hoje administro meu tempo entre trabalho e família, me organizo, me planejo, procuro ser mais produtiva pela melhoria do processo, da delegação de tarefas, do uso da tecnologia a meu favor, da consciência que nada é mais importante do que minha saúde e meu bem estar e que seu cuido bem de mim, por consequência tenho condições de cuidar bem da minha família.

Que ter sucesso é ter uma vida em equilíbrio e que portanto, devemos promover ações que trabalham o corpo, a mente e o espírito. Devemos ser mulheres integrais. Temos várias facetas e não podemos negligenciar por muito tempo uma delas.

Me preocupa quando vejo mulheres mais jovens que eu, com seus 25, 30, 40 anos agindo como eu agia, ficando orgulhosas de dizerem que trabalharam até tarde, muitas vezes em casa continuam na rotina, quando deveriam estar com sua família, amigos ou consigo mesma. Estão no whatsApp mandado mensagens para os grupos de trabalho. Ou no computador. Que tempo precioso que poderá estar perdendo e que não vai voltar.

Algumas dicas:

  1. Reveja suas prioridades
  2. Delegue
  3. Estabeleça Limites
  4. Desenvolva sucessores (Tenha outras pessoas que podem ser acionadas para emergências além de você)
  5. Utilize a palavra “Não”
  6. Coloque um limite de tempo e deixe o celular de lado quando chegar a sua casa.

Se esforce tanto por você como você se esforça pelo seu trabalho. Você não precisa ser uma “super mulher” para o mundo, apenas precisar estar se sentindo plena no mundo.

Paz e Luz

Maristela Serpejante Porfirio

MS People

Revista Exame: https://exame.abril.com.br/carreira/trabalhar-mais-de-39-horas-por-semana-pode-estar-matando-voce/